SP vai antecipar intervalo da vacina da Pfizer se receber mais doses do imunizante, diz Doria

O Estado de São Paulo não descarta a possiblidade de “encurtar” o intervalo entre as duas doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19 de 120 dias para 30 dias caso o Ministério da Saúde seja mais ágil na distribuição do material pelo Plano Nacional de Imunização. O governador João Doria falou sobre isso durante a manhã desta segunda-feira, 9, no Instituto Butantan, enquanto acompanhava a liberação de mais dois milhões de doses da CoronaVac — imunizante produzido em parceria com o laboratório chinês Sinovac. “No caso da Pfizer, com certeza absoluta poderemos reduzir o prazo se tivermos vacinas. A bula permite [antecipar o intervalo], mas precisamos das vacinas”, afirmou.

No fim do mês de julho, o Ministério da Saúde também considerou a possiblidade. A condição seria a mesma: maior abastecimento dos estoques com o imunizante da farmacêutica norte-americana. Na última semana, João Doria afirmou que o Estado pretende ir à Justiça questionar o governo federal por uma redução na entrega da vacina da Pfizer para São Paulo. De acordo com a gestão estadual, na última semana, foram entregues apenas 50% do que estava sendo esperado — cerca de 228 mil doses a menos. O secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, afirmou ter ido a Brasília na última sexta-feira para conversar com o ministro Marcelo Queiroga sobre a situação. O governo da cidade do Rio de Janeiro também questiona a pasta sobre o envio de mais doses para que o calendário previsto para imunização dos cariocas possa ser cumprido.

Ultimas notícias

spot_img

Veja tambem