‘Protetores do desembargador estão diminuindo sua biografia’, diz Olimpio sobre indicação ao STF

O senador Major Olimpio (PSL-SP) não poupou críticas à maneira pela qual o nome do desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), Kássio Nunes Marques, foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro como substituto do decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello. Na avaliação do líder do PSL no Senado e membro da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), colegiado responsável pela sabatina do indicado, a estratégia adotada pelo governo foi “lamentável em todos os aspectos” e está criando um desgaste desnecessário à imagem do magistrado. “Os protetores do desembargador estão diminuindo sua biografia”, diz. “Recebi a indicação com surpresa, afinal, ele não estava entre os ‘Supremáveis’. Confesso que nunca tinha ouvido falar nesse desembargador. Mas não tenho dúvidas de que ele tem notório saber jurídico e reputação ilibada, porque ninguém chega a um posto num tribunal de segunda instância sem estes predicados. Mas o anúncio foi lamentável em todos os aspectos. Bolsonaro vai com Alcolumbre até a casa do ministro Gilmar Mendes, onde também estava o ministro Dias Toffoli. Quis fazer um aceno ao Judiciário? Foi desrespeitoso com o presidente, ministro Fux. Diante do sinal verde, formaliza a indicação? Agora todos estão discutindo o caráter do desembargador. É o que digo: o mal do protegido é o seu protetor”, disse em entrevista à Jovem Pan.

Aliado de primeira hora do presidente, Olimpio rompeu com o Palácio do Planalto por considerar que o presidente se distanciou de pautas que o elegeram, como o combate à corrupção, a defesa intransigente da Operação Lava Jato e da prisão após condenação em segunda instância. O senador se diz preocupado com a forma como o chefe do Executivo e seus aliados têm tratado a indicação do desembargador à Suprema Corte. “Em sua live semanal, o presidente fez uma comparação com o ex-ministro Sergio Moro. Questionou se deveria indicar alguém que não defenderia o que chamou de suas causas. Moro é símbolo da Lava Jato, sempre defendeu o combate à corrupção, defende o fim do foro privilegiado. Então, eu pergunto: quais são as causas do presidente? Isso é lamentável, desgraça a vida do indicado. Os próprios apoiadores do presidente, nas redes sociais, estão protestando contra o nome justamente por isso. Por mais que uma cadeira no Supremo seja o cargo mais honroso do Judiciário, eu não gostaria de estar no lugar do desembargador”, afirma.

Membro da CCJ, Olimpio diz que não há, por ora, uma previsão de data para o início da sabatina. Afirma, ainda, que a pressa é desrespeitosa com o ministro Celso de Mello. “Estão fazendo missa de corpo presente do ministro Celso de Mello, atitude extremamente desagradável, desrespeitosa. Ficamos cerca de sete meses sem votar a indicação de embaixadores, por exemplo. Por que não poderíamos ficar sete dias sem votar a escolha de um ministro pro STF? Quando um ministro adoece, tira licença, a Corte fica com dez. Quando o ministro Teori faleceu, a reposição não foi imediata. E mesmo quando formos discutir uma data, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), precisa combinar conosco. Se não dermos quórum à CCJ, não tem votação. Simples assim”.

Ultimas notícias

Ideias para vender produtos artesanais

Empreender, para muitas pessoas, tornou-se uma forma de fazer uma renda extra. Desse modo, com o objetivo de auxiliar as pessoas que...

Melhores localidades em Tocantins para se conhecer

Frederico Gayer Machado de Araujo, grande empresário e nativo de Tocantins, comenta sobre os melhores lugares para se conhecer em seu...

Como manter um cabelo lindo e cacheado?

Para Leandra, a Diva do Brás, o cabelo cacheado está cada vez mais em alta, podendo até ser uma nova tendência nos...

Marco Antonio Carbonari dá dicas de harmonização com queijos

Receber amigos ou pessoas especiais em uma noite de vinhos para degustação e aperitivos é um dos programas...

Veja tambem