Porto Alegre terá hospital de campanha do Exército para atender pacientes com Covid


É a primeira vez que a Capital necessita de uma estrutura de campanha. Lotação nas UTIs chegou a 107% da capacidade nesta quinta (11). Ainda não há previsão para início da operação. Exército e prefeitura vistoriaram o local que vai receber a estrutura
Reprodução/Comando Militar do Sul
Pela primeira vez desde o início da pandemia, Porto Alegre terá um hospital de campanha para atender pacientes com Covid-19. A estrutura é do Exército Brasileiro, com 16 leitos enfermaria e quatro de UTI. A prefeitura disponibilizará mão de obra.
A estrutura será instalada junto à entrada do Hospital Restinga Extremo-Sul. Ainda não há data para início da operação.
Insumos do ‘kit intubação’ têm alta de até 467% e hospitais temem desabastecimento no RS
Justiça do RS nega pedido de transferência de paciente com Covid: ‘Não há vagas de UTIs, estamos diante do colapso’
A primeira parte dos equipamentos chega nesta quinta-feira (11), na Base Aérea de Canoas, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), trazidos de Manaus. O restante chega na sexta-feira (12).
Hospital de campanha será instalado no pátio do Hospital da Restinga Extremo-Sul
Joel Vargas/PMPA
O hospital terá três barracas, montadas pelos militares do Comando Militar do Sul. Segundo o Exército, a instalação atende à solicitação do governo do estado, diante da escassez de leitos. Nesta quinta-feira (11), a Capital atingiu 107% da ocupação dos leitos de UTI.
“As Forças Armadas vem trabalhando num acompanhamento muito efetivo, quer seja na vacinação quer seja nesse instrumento importante que é o hospital de campanha, que vem agregar no momento mais difícil da pandemia”, declara o secretário de Saúde de Porto Alegre, Mauro Sparta.
A coronel Ocilene Vargas Pereira, comandante do Hospital de Campanha, explica que a estrutura permite que os leitos clínicos sejam transformados em UTIs.
“A característica do hospital de campanha é a rápida mobilidade. A área é perfeita, um terreno sólido, que tem proximidade do hospital”, observa.
Segundo ela, o Exército identificou a necessidade de trazer a estrutura para o RS diante do esgotamento de leitos. Um segundo hospital de campanha segue em Manaus.
“Lá deu uma arrefecida. A situação esteve bem crítica há semanas, não está ainda confortável mas aqui a gente tem verificado uma piora”, observa.
VÍDEOS: Tudo sobre RS
Initial plugin text

Ultimas notícias

Voluntários produzem pães para doar a estudantes da rede pública de Taquara

Campanha começou, há três semanas, produzindo 100 pães. Com doações da comunidade, volume foi duplicado. Produção dos pães...

Hospitais gaúchos ganham 80 milhões de reais para o combate ao coronavírus

O governo do Estado repassou, nesta sexta-feira (9), R$ 80 milhões a cerca de 200 hospitais gaúchos para o custeio dos serviços ambulatoriais e...

Municípios do RS notificam Anvisa por lotes de vacina contra a Covid com menos doses do que indicado

Conselho de Secretarias Municipais da Saúde estima perda de 20 mil doses em 100 cidades. Agência afirma que...

Corujas são devolvidas à natureza após tratamento em Porto Alegre

Filhotes foram encontrados em uma rua da Zona Sul da Capital há três meses. Animal é comum em...

Veja tambem