Mulher com medida protetiva é morta em Encruzilhada do Sul; ex-namorado é preso suspeito de feminicídio


Crime ocorreu na sexta-feira (30), no Vale do Rio Pardo. Medida protetiva estava em vigor desde 22 de abril, segundo o Ministério Público. Homem está preso preventivamente. Delegada relata prisão de suspeito de feminicídio em Encruzilhada do Sul
Uma mulher foi morta a tiros, na sexta-feira (30), em Encruzilhada do Sul, no Vale do Rio Pardo. A vítima foi identificada como Viviane Cardoso de Souza, de 29 anos. O principal suspeito é o ex-namorado dela, preso preventivamente nesta terça-feira (4). A Polícia Civil investiga o caso como feminicídio.
Conforme apurou a reportagem da RBS TV, o suspeito é Aldair Dias. O advogado dele, Zeno Fernando Struk, informou ao G1 que irá analisar o decreto de prisão preventiva. A defesa estuda pedir a soltura do indivíduo, que foi encaminhado para o Presídio Estadual de Encruzilhada do Sul.
De acordo com o Ministério Público, Viviane tinha uma medida protetiva em vigor contra Aldair, autorizada no dia 22 de abril pelo 2º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher de Porto Alegre.
A delegada Luana Medeiros, da Delegacia de Encruzilhada do Sul, explica que o suspeito não obedeceu a ordem judicial (veja vídeo acima).
“O agressor não cumpriu. Mesmo intimado das decisões judiciais, ele não cumpriu o afastamento da vítima”, disse.
Viviane tinha dois filhos de outro relacionamento, um de 4 anos e outro de 11. O corpo da mulher foi sepultado no sábado (1º), no Cemitério Municipal Papa João Paulo II, em Encruzilhada do Sul.
Viviane Cardoso de Souza, de 29 anos, foi morta em Encruzilhada do Sul
Funerária Silveira/Divulgação
Caso
Conforme a delegada Luana Medeiros, Aldair não teria aceitado o fim do relacionamento do casal, que durou seis meses. Em 21 de abril, ele teria mantido Viviane sob cárcere dentro de um carro por 9h.
“Durante o período em que teve sua liberdade cerceada, a vítima era ofendida e ameaçada de morte. Somente conseguiu ser liberta após fingir ao agressor que estava tudo bem e que não findaria o namoro”, relatou.
Viviane trabalhava de segunda a sexta em Porto Alegre e voltava para Encruzilhada do Sul, distante 172 km da Capital, nos finais de semana. Após o sequestro, a vítima procurou a Polícia Civil e conquistou as medidas protetivas.
As normas proibiam o homem de se aproximar ou de entrar em contato com a vítima, inclusive por telefone e internet, devendo manter uma distância mínima de 300 metros dela, sob pena de prisão.
Na sexta-feira, quando estava voltando para Encruzilhada, Viviane foi morta pelo ex-namorado, baleada na cabeça. Segundo a Polícia Civil, Aldair efetuou os disparos e fugiu do local, não sendo possível realizar a prisão em flagrante.
Na segunda (3), o suspeito se apresentou à delegacia acompanhado do advogado.
“Como se trata de um caso de feminicídio, contendo fatos de ordem familiar e eu, na qualidade de advogado de defesa do acusado não posso, por questões éticas, fornecer detalhes sobre o depoimento prestado pelo meu cliente”, disse Struk.
No dia do depoimento, Aldair não pôde ser preso por não mais vigorarem as hipóteses legais para realizar a prisão em flagrante, explicou a delegada.
* Colaborou a assistente Júlia Barros sob supervisão de Lilian Lima
VÍDEOS: tudo sobre o RS
V

Ultimas notícias

Municípios do RS temem 'apagão' por falta de vacina contra a Covid, diz Conselho das Secretarias de Saúde

Fiocruz e Butantan anunciaram a paralisação na fabricação das vacinas Oxford/AstraZeneca e CoronaVac. Secretaria da Saúde estima que...

Operação dispersa pontos de aglomeração em Porto Alegre

Ocorrências foram registradas nos bairros Centro Histórico, Arquipélago, Cidade Baixa e Moinhos de Vento. Festa realizada em estabelecimento...

Homem de 72 anos é morto a tiros em Porto Alegre

Vítima, identificada como João Carlos Franco Cunha, de 72 anos, foi atingido por dois tiros na nuca e...

Museus recebem visitantes com hora marcada no RS; saiba como agendar

Reabertos após período de restrições, os museus históricos e artísticos da Capital e interior do estado organizam as...

Veja tambem