MP-RS instaura inquérito para apurar incêndio em casarão histórico de Novo Hamburgo


Andar superior do imóvel da família Friedrich, construído no século XIX, foi consumido pelo fogo na terça (2). Causa provável, segundo análise preliminar dos bombeiros, foi um curto-circuito. Andar superior do imóvel da família Friedrich, construído no século XIX, foi consumido pelo fogo na terça (2).
MP-RS/Divulgação
O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) decidiu, nesta sexta-feira (5), abrir um inquérito civil para apurar as causas do incêndio no casarão da família Friedrich, em Novo Hamburgo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. O imóvel é um dos mais antigos da cidade e foi parcialmente consumido pelo fogo na terça (2).
A decisão foi tomada após uma vistoria feita no local, nesta quinta (4), pelos promotores Daniel Martini, coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente (Caoma), Michael Schneider Flach, promotor regional do Patrimônio Cultural, e Sandro de Souza Ferreira, da Promotoria de Justiça Especializada de Novo Hamburgo.
Eles decidiram abrir uma notícia de fato, em que detalha que o incêndio comprometeu parcialmente o telhado do prédio, localizado na Estrada Germano Friedrich, 55, com danos perceptíveis no andar superior.
“No andar inferior também foram percebidos os efeitos do sinistro, especialmente pela presença de água da chuva”, diz o relatório assinado por Ferreira.
O proprietário do imóvel, que também participou da inspeção, informou que removeu o mobiliário para um prédio anexo.
Andar superior do imóvel da família Friedrich, em Novo Hamburgo, foi consumido pelo fogo na terça (2)
MP-RS/Divulgação
O imóvel, construído em 1845, não é tombado pelo município, mas é considerado um patrimônio histórico pelos moradores.
No relatório, o MP diz que não há dúvidas “acerca da ímpar significância histórico-cultural do imóvel, assim como há o entendimento do âmbito da administração municipal de que devem, sim, ser adotadas providências administrativas destinadas a salvaguardar o interesse público na preservação do patrimônio histórico representado pelo local”.
Por isso, o MP também deve solicitar ao Corpo de Bombeiros que informe se foi possível estabelecer a causa do incêndio. A causa provável do fogo, em uma avaliação preliminar no dia do incêndio, foi um curto-circuito na fiação elétrica.
“A princípio começou no forro de um dos cômodos do andar de cima, em um quarto de hóspedes. Causou bastante dano no telhado e o quarto ficou completamente destruído”, relatou o sargento Luis Marcelo Müller da Costa.
A prefeita de Novo Hamburgo, Fátima Daudt, manifestou pesar pelo ocorrido. “O incêndio em parte do Casarão dos Friedrich (…) é um duro golpe na história de Novo Hamburgo. Prédios históricos como este são referências de nossas raízes e mantêm vivas as lembranças de um passado muito rico em nossa cidade. Como arquiteta e urbanista, mas acima de tudo como cidadã, torço para que os estragos tenham sido o mínimo possível no Casarão dos Friedrich”, disse.
Vídeos: RBS Notícias

Ultimas notícias

Voluntários produzem pães para doar a estudantes da rede pública de Taquara

Campanha começou, há três semanas, produzindo 100 pães. Com doações da comunidade, volume foi duplicado. Produção dos pães...

Hospitais gaúchos ganham 80 milhões de reais para o combate ao coronavírus

O governo do Estado repassou, nesta sexta-feira (9), R$ 80 milhões a cerca de 200 hospitais gaúchos para o custeio dos serviços ambulatoriais e...

Municípios do RS notificam Anvisa por lotes de vacina contra a Covid com menos doses do que indicado

Conselho de Secretarias Municipais da Saúde estima perda de 20 mil doses em 100 cidades. Agência afirma que...

Corujas são devolvidas à natureza após tratamento em Porto Alegre

Filhotes foram encontrados em uma rua da Zona Sul da Capital há três meses. Animal é comum em...

Veja tambem