Julgamento do caso Kiss será realizado no Foro Central de Porto Alegre


Julgamento está marcado para o dia 1º de dezembro. Plenário que receberá o júri está em fase de construção. Tragédia, que vitimou 242 pessoas, completou 100 meses na semana passada. Fachada do prédio, onde funcionava a boate Kiss, foi pintada de preto e estampada a frase ‘oito anos de impunidade’
Fabiana Lemos/RBS TV
O júri dos quatro réus pelo incêndio da Boate Kiss ocorrerá no Foro Central I de Porto Alegre, também conhecido como Foro Criminal, em um plenário que está em fase de construção. A determinação, feita nesta segunda-feira (31), é do juiz Orlando Faccini Neto, que presidirá o júri.
O julgamento de Elissandro Spohr, Marcos Hoffmann, Luciano Bonilha e Marcelo de Jesus está marcado para o dia 1º de dezembro deste ano.
FOTOS: veja imagens de dentro da boate em Santa Maria
Incêndio na boate Kiss completa 100 meses; famílias organizam programação especial no RS
“Com efeito, assentei que até o final de maio o local estaria definido e, com o auxílio da equipe técnica do Tribunal de Justiça, e a partir de reuniões e análises sobre variadas possibilidades, ficou estabelecido que este foro criminal é a melhor sede para a realização do júri. Está em fase de construção um novo plenário, com maior capacidade de público que os atuais, e todas as suas condições se mostraram adequadas para a equipe técnica, o que contou com a anuência deste magistrado. O prazo de ultimação da obra, ademais, está em conformidade com a data fixada para o julgamento”, destacou o juiz.
A tragédia na boate de Santa Maria, na Região Central do RS, aconteceu há oito anos, deixando 242 mortos e 636 pessoas feridas. Os julgamentos chegaram a ser marcados em duas sessões para o ano passado, em Santa Maria, mas tiveram a data suspensa devido a pedidos de desaforamento dos réus para levar o julgamento para Porto Alegre.
Inicialmente, o desaforamento foi concedido a três dos quatro réus – Elissandro, Mauro e Marcelo. Luciano foi o único que não manifestou interesse na troca, e seu julgamento chegou a ser marcado em Santa Maria.
Contudo, depois de pedido do Ministério Público, o Tribunal determinou que ele se juntasse aos demais.
Eles respondem por homicídio simples, 242 vezes consumado e 636 vezes tentado (pelo número de feridos).

Ultimas notícias

MP faz operação em penitenciária de Guaíba; agente é suspeito de comandar esquema de negociação com detentas

Agente penitenciário seria responsável por fornecer celulares a detentas, suspeitas de serem integrantes de facção criminosa. Operação...

Mulher é morta a tiros em Viamão; ex-marido é apontado como suspeito, diz polícia

Após cometer o crime, homem se jogou da nova Ponte do Guaíba, em Porto Alegre, afirma delegada. Vítima...

Família é presa por suspeita de tortura, escravidão e estupro a mulher com deficiência no RS

Ela era obrigada a trabalhar mais de 15 horas por dia sem comida e bebida e sem poder...

'Descobrir que tu está viva é fora de série', diz mulher que passou 175 dias com Covid em UTI do RS

Cristiane dos Reis Duarte, de 44 anos, foi hospitalizada em 30 de novembro do ano passado com a...

Veja tambem