Em visita ao RS, ministro da Saúde fala em garantia para vacinar 1 milhão de brasileiros por dia contra a Covid


Titular da Saúde visitou hospitais de Porto Alegre nesta quinta-feira (8). Marcelo Queiroga disse ter assegurado 30,5 milhões de doses de vacinas. Ministro da Saúde visita Insituto de Cardiologia de Porto Alegre
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o Brasil tem a garantia da entrega de 30,5 milhões de doses da vacina Coronavac para o mês de abril. Segundo o titular da pasta, que visitou hospitais de Porto Alegre nesta quinta-feira (8), o volume irá suprir a demanda de 1 milhão de brasileiros vacinados diariamente.
“No mês de abril, nós temos assegurados 30,5 milhões de doses de vacina. Isso garante o compromisso que eu fiz no início da gestão, que teremos 1 milhão de brasileiros vacinados todos os dias”, disse.
Queiroga reconheceu a falta de imunizantes neste momento, principalmente pela falta do insumo farmacêutico ativo (IVA). Segundo o consórcio de veículos de imprensa, pouco mais de 10% dos brasileiros já foram vacinados em primeira dose.
Na projeção do ministro, a Fiocruz terá capacidade de produzir o IVA “em breve”. Enquanto isso, o produto seguirá sendo importado, afirmou.
“Nossa diplomacia brasileira é de altíssimo nível e tem tratado com os países que produzem insumo farmacêutico ativo, em particular a China. Estamos acreditando muito que esses insumos chegarão a tempo, de maneira que a população será atendida no Programa Nacional de Imunização”, comentou Queiroga.
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitou hospitais de Porto Alegre, nesta quinta (8)
Reprodução/RBS TV
Vacinação privada
Queiroga ainda comentou o projeto de lei, aprovado na Câmara, que permite a compra de vacinas pela iniciativa privada. O ministro da Saúde disse respeitar as decisões tomadas pelo Legislativo e que as empresas podem contribuir com o poder público a fim de acelerar o ritmo da imunização.
“Uma vez há lei, cumpra-se. Nós temos que implementar um programa público de vacinação. Se houver o apoio da iniciativa privada, melhor, nós temos capacidade de acelerar esta vacinação”, afirmou.
Líderes defendem adiar análise no Senado de projeto que autoriza compra de vacina por empresas
Ao ser questionado se a proposta não era uma forma de “furar a fila” da vacinação, o ministro disse não saber sobre o que o termo se referia (veja vídeo abaixo).
“Fura-fila? Eu não sei o que é fura-fila”, respondeu.
Em visita ao RS, ministro da Saúde comenta projeto de compra de vacinas por empresas
Criticas a cientista americano
Na terça-feira (6), o líder da força-tarefa do governo dos Estados Unidos contra a disseminação do coronavírus afirmou que “há uma situação muito grave no Brasil”, em entrevista à BBC News. Para o médico Anthony Fauci, o país deveria considerar a realização de um lockdown, proposta rechaçada pelo presidente Jair Bolsonaro.
Na coletiva de imprensa, Queiroga rebateu as críticas, dizendo que Fauci não deveria opinar sobre o Brasil.
“Ele deve cuidar dos Estados Unidos. Do Brasil, cuido eu, que sou ministro da Saúde”, disse.
Ministro da Saúde durante coletiva de imprensa em Porto Alegre
Reprodução/RBS TV
Agenda no RS
Durante a agenda no RS, o ministro Marcelo Queiroga se reuniu com autoridades locais, como o governador Eduardo Leite (PSDB) e o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB).
O governo do RS solicitou à pasta o envio de equipamentos para leitos de UTI, como monitores cardíacos, bombas de infusão e respiradores. Nesta quinta, o estado registrou ocupação de 95% das vagas de terapia intensiva.
“Estamos vendo uma leve redução de internações em leitos clínicos e de UTI, mas estamos nos aproximando do inverno, momento no qual começam a surgir outras doenças respiratórias, que também demandam atendimento”, disse Leite.
Já o prefeito da Capital pediu prioridade aos servidores da educação na vacinação contra a Covid-19.
“Além do apelo por mais vacinas, pedi avaliação para priorizarmos a imunização dos profissionais da educação”, expôs Melo.
Queiroga visitou o Hospital Nossa Senhora da Conceição e o Hospital de Clínicas, os maiores da rede pública de Porto Alegre, e o Instituto de Cardiologia, que atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e de convênios privados.
Ministro Marcelo Queiroga em reunião com o governador do RS, Eduardo Leite, e o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo
Gustavo Mansur/Palácio Piratini/Divulgação
VÍDEOS: Tudo sobre o RS

Ultimas notícias

Voluntários produzem pães para doar a estudantes da rede pública de Taquara

Campanha começou, há três semanas, produzindo 100 pães. Com doações da comunidade, volume foi duplicado. Produção dos pães...

Hospitais gaúchos ganham 80 milhões de reais para o combate ao coronavírus

O governo do Estado repassou, nesta sexta-feira (9), R$ 80 milhões a cerca de 200 hospitais gaúchos para o custeio dos serviços ambulatoriais e...

Municípios do RS notificam Anvisa por lotes de vacina contra a Covid com menos doses do que indicado

Conselho de Secretarias Municipais da Saúde estima perda de 20 mil doses em 100 cidades. Agência afirma que...

Corujas são devolvidas à natureza após tratamento em Porto Alegre

Filhotes foram encontrados em uma rua da Zona Sul da Capital há três meses. Animal é comum em...

Veja tambem