Cresce procura por atendimento psicológico no RS; veja locais que oferecem apoio gratuito ou com 'valor social'

Orientação da Secretaria Estadual da Saúde é buscar o atendimento na rede de atenção primária. Estado tem 212 unidades do Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Saiba como encontrar ajuda. Covid-19: especialistas dão dicas para manter a saúde mental em dia
O Rio Grande do Sul registrou aumento na procura por atendimentos psicológicos na pandemia. Os dados mais recentes, disponibilizados pela Secretaria Estadual da Saúde, sobre atendimento nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), são referentes aos dois primeiros meses de 2021: foram 70.146 atendimentos individuais em janeiro e 63.863 em fevereiro. Veja abaixo onde encontrar ajuda.
Em comparação ao período anterior à pandemia, os CAPS registraram 70.094 consultas em janeiro e 61.255 em fevereiro de 2020. Para a coordenadora da Saúde Mental Marilise Fraga de Souza, da Divisão de Políticas Transversais da Secretaria Estadual da Saúde, houve aumento no número de atendimentos mesmo com o serviço passando por adaptações.
“As equipes dos CAPS perceberam que houve um retorno de pacientes que tiveram uma piora em sintomas, em alguns casos, a questão do isolamento interferiu bastante. E na atenção básica, a equipe percebeu um número maior de pessoas com ansiedade, com questões relacionadas ao sono, medo e angústia”, conta.
Como as atividades presenciais foram prejudicadas e os grupos cancelados, muitas pessoas tiveram que ser atendidas por telefone e pela internet.
“Elaboramos uma nota orientadora do que eles [CAPS] poderiam continuar fazendo, de como eles tinham que se readaptar, especialmente para aquelas pessoas que tivessem em uma situação de risco, de crise e viessem a necessitar de auxílio”, explica.
Atendimento no CAPS
O RS possui 212 unidades do CAPS, que além de atendimentos individuais, também oferece atividades em grupo e terapia ocupacional. As unidades que realizam atendimento especializado são divididas em quatro tipos. Veja abaixo.
CAPS 1: atende todas as faixas etárias com transtornos mentais graves e persistentes em regiões com cerca de 150 mil habitantes.
CAPS 2: atende todas as faixas etárias com transtornos mentais graves e persistentes em regiões com cerca de 70 mil habitantes.
CAPS 3: atende todas as faixas etárias com transtornos mentais graves e persistentes e possui até cinco vagas para acolhimento noturno em regiões com cerca de 70 mil habitantes.
CAPSi: atende crianças e adolescentes com transtornos mentais graves e persistentes em regiões com cerca de 70 mil habitantes.
A orientação para quem procura atendimento psicológico é buscar a unidade de saúde mais próxima da sua casa ou região.
“Em muitos casos, como em Porto Alegre, por exemplo, o atendimento é feito na rede de atenção primária, onde o caso será avaliado e, posteriormente, é indicado como será feito o tratamento”, explica Marilise.
As unidades de atenção básica devem atender os casos leves e encaminhar, aos serviços especializados, os pacientes graves ou com quadros persistentes. No entanto, a SES explica que todos os CAPS devem permanecer de portas abertas para o acolhimento de quem procura o serviço.
Especialista em Psicologia Positiva fala sobre como lidar com as emoções na pandemia
Onde encontrar ajuda no RS
Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) são unidades de saúde que realizam atendimento multidisciplinar em saúde mental e fazem parte da rede SUS. É possível encontrar a unidade da sua cidade ou região através do site do governo do RS.
O Centro de Valorização da Vida (CVV) é um serviço gratuito de apoio psicológico, disponível 24h pelo telefone 188 ou pelo site da instituição.
Porto Alegre
Prefeitura de Porto Alegre: a prefeitura da Capital oferece atendimento de urgência e emergência em saúde mental em dois pontos da cidade. As principais etapas do serviço são: acolhimento, classificação de risco, atendimento e internação, encaminhamento ou alta. O serviços estão disponíveis nas unidades de saúde: Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul (PACS) – (Rua Professor Manoel Lobato, 151, bairro Santa Tereza) e Plantão de Emergência em Saúde Mental IAPI – (Rua Três de Abril, 90, bairro Passo d’Areia).
Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre oferece o serviço de acolhimento totalmente gratuito. Para participar é necessário preencher um formulário online e, após, a equipe entra em contato por telefone.
Região da Serra do RS
Caxias do Sul e Bento Gonçalves
O grupo Uniftec oferece atendimento psicológico através das clínicas escolas do curso de psicologia. O serviço é pago com ‘valor social’ e qualquer pessoa pode utilizar. O agendamento da consulta pode ser feito pelo e-mail [email protected] ou ligar para 0800 606 0606. Os atendimentos acontecem de segunda à sexta e nos sábados pela manhã.
Bento Gonçalves
A rede municipal também oferece serviços pelo SUS. Interessados podem buscar pelo serviço em uma das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e os casos são avaliados pela Rede de Saúde Mental do município. Dependendo do caso, a pessoa poder ser atendida na UBS ou encaminhada para tratamento em uma unidade do CAPS.
Veranópolis
Interessados podem buscar apoio psicológico gratuito no CAPS da cidade, na Avenida Doutor José Montauri, 894. A unidade funciona de segunda à sexta com uma equipe multidisciplinar. Além de atendimentos individuais, são oferecidas diversas oficinas terapêuticas aos pacientes do CAPS, como artesanato, pintura e musicoterapia. Mais informações estão disponíveis pelo telefone (54)3441-7622.
Região Sul do RS
São José do Norte
O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) tipo 1 oferece atendimento gratuito e conta com médicos, psicólogos e assistente social. A unidade recebe presencialmente pacientes que tenham casos mais graves. O funcionamento é de segunda à sexta, das 8h às 17h, na Avenida Presidente Getúlio Vargas, nº 866. Interessados também podem buscar atendimento e informações pelo telefone (53) 3238-1327.
Ambulatório Multiprofissional em Saúde Mental é um serviço gratuito que atende pacientes com quadros mais leves. O serviço funciona de segunda à sexta, das 8h às 17h, na Rua Álvaro Costa, nº 56, ao lado da farmácia.
Rio Grande
A indicação da coordenadora de saúde mental do município é procurar a unidade de saúde mais próxima para a realização de encaminhamento. Em caso de tentativa de suicídio e sofrimento psíquico de crianças e adolescentes, é possível buscar uma das unidades de atenção psicossocial.
CAPSi: Rua Marcílio Dias, 636, atendimento de segunda à sexta, das 8h às 18h, respeitando todos os protocolos de prevenção a Covid.
CAPS 2 Conviver: Rua Conde de Porto Alegre, 193, atendimento de segunda à sexta, das 8h às 18h, respeitando todos os protocolos de prevenção a Covid.
Região da Campanha do RS
Bagé
O CAPS 2 oferece diariamente atendimento gratuito por ordem de chegada. Estão disponíveis psicólogos e psiquiatras das 8h às 17h, sem fechar ao meio-dia. A unidade fica na Rua Marechal Floriano, 1499 e o telefone é (53) 3247-3248.
O município conta com quatro centros de referência em saúde nos bairros Arvorezinha, Floresta, Centro Social Urbano e Castro Alves. O atendimento é das 8h às 17h.
Santana do Livramento
O CAPS tipo 1 oferece atendimento gratuito e funciona de segunda à sexta, das 9h às 17h, na Avenida General João Manoel, 817. Interessados também podem entrar em contato pelo telefone (55) 3868-1170.
Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS AD) tem atendimento gratuito e funciona de segunda à sexta, das 9h às 17h, na Avenida General João Manoel, 277. Interessados também podem entrar em contato pelo telefone (55) 3968-1154.
Região Central do RS
Santa Maria
Acolhe Saúde Santa Maria: oferece acolhimento gratuito pelo telefone (55) 3219-2333. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h ao meio-dia e das 13h às 17h.
*Colaborou estagiária Juliana Borgmann sob supervisão de Lilian Lima.

Ultimas notícias

MP faz operação em penitenciária de Guaíba; agente é suspeito de comandar esquema de negociação com detentas

Agente penitenciário seria responsável por fornecer celulares a detentas, suspeitas de serem integrantes de facção criminosa. Operação...

Mulher é morta a tiros em Viamão; ex-marido é apontado como suspeito, diz polícia

Após cometer o crime, homem se jogou da nova Ponte do Guaíba, em Porto Alegre, afirma delegada. Vítima...

Família é presa por suspeita de tortura, escravidão e estupro a mulher com deficiência no RS

Ela era obrigada a trabalhar mais de 15 horas por dia sem comida e bebida e sem poder...

'Descobrir que tu está viva é fora de série', diz mulher que passou 175 dias com Covid em UTI do RS

Cristiane dos Reis Duarte, de 44 anos, foi hospitalizada em 30 de novembro do ano passado com a...

Veja tambem