Coletivo de Porto Alegre busca doações para continuar projetos durante a pandemia


ONG realiza diversas atividades com foco na educação de crianças e adolescentes de famílias em vulnerabilidade social. Saiba como ajudar. ONG também proporciona atividades para qualificação profissional
Divulgação / Coletivo Morro da Cruz
O Coletivo Autônomo Morro da Cruz, de Porto Alegre, está buscando doações para dar continuidade aos projetos realizados durante a pandemia de Covid-19.
Responsável por oferecer um trabalho multidisciplinar às famílias, desenvolvendo projetos para unir a comunidade, proporcionar conhecimento e investir em pessoas que vivem em vulnerabilidade social, a ONG atua há mais de 12 anos com foco da educação.
Segundo a gerente de projetos da ONG, Sula Riet, o Coletivo recebe doações de roupas e cestas básicas, mas com a pandemia, acabou perdendo o aporte financeiro para seguir proporcionando atividades.
“Por termos perdido o aporte financeiro do órgão que nos financiava estamos numa situação delicada quanto à continuidade dos projetos sociais que já realizamos. Nossa ONG, para além da assistência social, acredita muito na importância desses projetos”, diz.
De acordo com Sula, as atividades realizadas estão sendo mantidas com esforço.
“Por enquanto estamos conseguindo manter os projetos dessa maneira. Esse está sendo o primeiro mês que ainda não fechamos o valor para pagar toda a folha e contas. Estamos sendo bastante transparentes com todos que são assalariados na ONG sobre a situação e também com os atendidos. Todos sabem que a ONG está correndo risco”.
Para incentivar doações, a ONG preparou uma campanha até o mês de julho onde separou os custos dos serviços e produtos oferecidos a cada uma das 50 famílias. O interessado em colaborar pode escolher um item e doar um valor de referência, de forma fixa ou pontual.
É possível financiar, por exemplo, mensalmente, oficinas de empregabilidade para uma família com R$ 30 ou investir em duas cestas básicas por R$ 200.
“O período é complicado, mas estamos vivendo mês a mês”, finaliza Sula.
Mais informações sobre como ajudar podem ser acessadas no site ou no Instagram.
Atividades entre crianças e adolescentes na ONG Morro da Cruz
Divulgação / Coletivo Morro da Cruz
Como a ONG atua
O objetivo é acolher crianças carentes de 7 a 14 anos do Morro da Cruz, através de atividades educativas, no turno inverso da escola. Atualmente são 50 crianças atendidas.
Entre as atividades ofertadas estão: reforço escolar, aulas de capoeira, percussão, teatro, yoga, artesanato, contação de histórias, entre outros.
Visando também a dificuldade dos moradores do Morro da Cruz em conseguir vagas no mercado de trabalho, em razão da falta de qualificação profissional, a ONG desenvolveu um projeto que busca ajudar a diminuir o número de desempregados entre as famílias.
O projeto, além de promover a capacitação de pessoas através de ajuda na construção e melhoria de currículo, preparação para entrevistas de emprego, dicas e instruções em como ter uma boa comunicação e conduta no ambiente de trabalho, busca fazer um mapeamento de comerciantes locais que tenham vagas disponíveis para que haja um cruzamento entre os comerciantes e os candidatos.
As famílias ainda contam com apoio de nutricionista e pediatra, além de convênio com clínica de atendimento psiquiátrico, quando necessário.
VÍDEOS: tudo sobre o RS

Ultimas notícias

MP faz operação em penitenciária de Guaíba; agente é suspeito de comandar esquema de negociação com detentas

Agente penitenciário seria responsável por fornecer celulares a detentas, suspeitas de serem integrantes de facção criminosa. Operação...

Mulher é morta a tiros em Viamão; ex-marido é apontado como suspeito, diz polícia

Após cometer o crime, homem se jogou da nova Ponte do Guaíba, em Porto Alegre, afirma delegada. Vítima...

Família é presa por suspeita de tortura, escravidão e estupro a mulher com deficiência no RS

Ela era obrigada a trabalhar mais de 15 horas por dia sem comida e bebida e sem poder...

'Descobrir que tu está viva é fora de série', diz mulher que passou 175 dias com Covid em UTI do RS

Cristiane dos Reis Duarte, de 44 anos, foi hospitalizada em 30 de novembro do ano passado com a...

Veja tambem