Major Olimpio se lança à presidência do Senado 

O senador Major Olimpio (PSL-SP) lançou sua candidatura à presidência no Senado na tarde desta quarta-feira, 7. Em uma carta aberta endereçada ao “Muda Senado”, grupo formado por senadores de vários partidos e que defende pautas como a Operação Lava Jato e a renovação política, e do qual ele faz parte, o líder do PSL na Casa condena a tentativa do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), atual presidente, de buscar a recondução ao posto, e fala em “defesa da democracia” – a Constituição Federal proíbe a reeleição de membros das Mesas Diretoras do Senado e da Câmara em duas eleições consecutivas. “Todo cidadão com espírito democrático é contra mudar a Constituição casuisticamente, pois não estamos falando de um estatuto ou regulamento, mas sim da carta maior que rege todo nosso ordenamento jurídico. Menos ainda acho crível tentar interpretá-la de forma a anular seu texto expresso e claro, para garantir projetos de poder pessoal, tanto na Câmara quanto no Senado”, diz um trecho do documento, obtido pela Jovem Pan.

Olimpio não é o primeiro membro do “Muda Senado” a lançar sua candidatura à presidência do Senado. Outro nome que se colocou à disposição do grupo foi o senador Kajuru (Cidadania-GO), crítico ferrenho da gestão de Alcolumbre. Na carta divulgada na tarde desta quarta-feira, Major Olimpio diz que segue “irmanado” com os demais integrantes do grupo, e ressalta que tem “a certeza de que juntos chegaremos a uma decisão de uma candidatura própria ou de apoio
a uma candidatura”. Para o líder do PSL, é fundamental que o nome escolhido defenda pautas como a criação da Comissão Permanente de segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, como forma da desafogar a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a diminuição dos gastos e do orçamento do Senado, e o respeito às decisões da maioria expressa pelo Plenário, “tais como instalação de CPI, abertura de processo de impeachment, e qualquer  outro rito ou procedimento que seja de competência do Senado Federal e do Congresso Nacional”. Nestes dois anos de legislatura, o “Muda Senado” tentou, sem sucesso, instalar a CPI da Lava Toga, destinada a investigar ministros do Supremo Tribunal Federal, e pautar a análise de pedidos de impeachment contra integrantes da Corte.

Eleito ao Senado em 2018, com mais de 9 milhões de votos, Olimpio rompeu com o Palácio do Planalto por considerar que o presidente Jair Bolsonaro se distanciou das pautas defendidas durante a campanha, como o combate intransigente à corrupção, fortalecimento da Operação Lava Jato e fim do chamado “toma lá, dá cá”, prática fisiologista na qual parlamentares aprovam matérias de interesse do governo em troca de cargos e emendas. Desde que passou a adotar postura crítica em relação ao governo federal, o senador se tornou alvo da militância digital que apoia Bolsonaro.

Ultimas notícias

Ideias para vender produtos artesanais

Empreender, para muitas pessoas, tornou-se uma forma de fazer uma renda extra. Desse modo, com o objetivo de auxiliar as pessoas que...

Melhores localidades em Tocantins para se conhecer

Frederico Gayer Machado de Araujo, grande empresário e nativo de Tocantins, comenta sobre os melhores lugares para se conhecer em seu...

Como manter um cabelo lindo e cacheado?

Para Leandra, a Diva do Brás, o cabelo cacheado está cada vez mais em alta, podendo até ser uma nova tendência nos...

Marco Antonio Carbonari dá dicas de harmonização com queijos

Receber amigos ou pessoas especiais em uma noite de vinhos para degustação e aperitivos é um dos programas...

Veja tambem