Em Porto Alegre, 120 pessoas em situação de rua acessam novos espaços de acolhimento

Desde o dia 1º de julho, quando começou a Operação Inverno, 120 pessoas em situação de rua aceitaram o acolhimento em hospedagem na nova modalidade pousada e 171 documentações foram encaminhadas para acesso ao benefício de Auxílio Moradia. A ação estende-se por sete meses em Porto Alegre, garantindo a proteção e tempo para que as pessoas reorganizem as suas vidas. O acesso é realizado a partir de avaliação técnica das equipes da Fasc.

A presidente da Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), Cátia Lara Martins, avalia os acolhimentos como oportunidade de superação. “Junto a nossa rede socioassistencial daremos todo o suporte e acompanhamento também àquelas pessoas que ainda não aceitaram sair da rua”, afirma.

Os acolhidos nesta fase estão hospedados em 12 espaços localizados nos bairros Floresta, Santana, São João e Centro, dos quais dez têm lugar para animais de estimação. Destes espaços, dois têm espaço para 20 animais de estimação. Quatro já foram recebidos junto aos seus tutores. As casinhas instaladas nos canis foram confeccionadas por estudantes de cursos de Marcenaria na Fundação Pão dos Pobres e Rede Calábria.

Atualmente, 320 pessoas já recebem o benefício Auxílio Moradia. A rede de acolhimento da Fasc tem 256 vagas distribuídas em quatro equipamentos, dois na modalidade Albergue 12h e dois Alberguess 24h, somando o total de 867 pessoas em vagas destinadas à situação de rua.  A Operação Inverno visa potencializar essa rede de acolhimento já existente, ofertando novas opções.

De acordo com o Núcleo de Acolhimento da Fasc, os albergues estão atuando em capacidade máxima, sem demanda reprimida. As demandas reprimidas que surgem em um albergue são direcionadas a outros espaços, dentro da própria rede.

Ultimas notícias

spot_img

Veja tambem