Balança comercial registra superávit histórico de US$ 6,1 bilhões em setembro

A balança comercial brasileira encerrou setembro com saldo positivo em US$ 6,1 bilhões, resultado de US$ 18,4 bilhões em exportações ante US$ 12,2 bilhões gastos com importações, informou o Ministério da Economia nesta quinta-feira, 30. O número representa alta de 62,2% do registrado em 2019, quando setembro fechou com superávit de US$ 3,8 bilhões, e é o melhor desempenho para o mês desde o início da série histórica, em 1997. No acumulado do ano, o país possui saldo positivo de US$ 42,4 bilhões, totalizando US$ 156,7 bilhões em vendas e US$ 114,3 bilhões em compras internacionais, avanço de 18,6% em comparação ao ano passado. Apesar da alta, a corrente de comércio, que mesura os valores das importações e exportações, retraiu 16,4% no mês e 10,1% no ano.

Entre janeiro a setembro, as exportações recuaram 7% em comparação mesmo período do ano passado, enquanto as importações registraram baixa de 14%. A exportação de itens agropecuários subiu 16% entre janeiro e setembro deste ano, somando 37,6 bilhões. O mesmo desempenho não foi acompanhado por outros setores. A indústria da transformação recuou 14,9%, totalizando US$ 83,4 bilhões, enquanto a indústria extrativa teve queda de 6%, com US$ 35,1 bilhões em vendas ao mercado internacional. Já nas importações, os três segmentos apresentaram recuo. A compra de itens da indústria extrativa somou US$ 5 bilhões entre janeiro e setembro, queda de 39,7% em comparação ao mesmo período do ano passado. O setor de transformação registrou baixa de 12,3%, totalizando 105,8 bilhões, enquanto a agropecuária recuou 5,2%, fechando os 9 meses do ano com US$ 3 bilhões em compras.

Responsável por 48,7% do total do comércio brasileiro, as vendas para a Ásia avançaram 11,7% entre janeiro e setembro, com alta de 14,1% para a China, Macau e Hong Kong. Na contramão, as vendas para a América do Norte recuaram 26%, com queda de 31% ao mercado dos Estados Unidos, enquanto as compras dos países da América do Sul retraíram 24,7%. Nas importações, todas as regiões registraram queda, com destaque de recuo de 24% das compras brasileiras dos países da América do Sul, e 20,2% da América do Norte. Na Ásia, o recuo foi de 10,6%. Para 2020, o Ministério da Economia estima superávit de US$ 55 bilhões, avanço de 14,4% em comparação a 2019.

 

 

Ultimas notícias

Ideias para vender produtos artesanais

Empreender, para muitas pessoas, tornou-se uma forma de fazer uma renda extra. Desse modo, com o objetivo de auxiliar as pessoas que...

Melhores localidades em Tocantins para se conhecer

Frederico Gayer Machado de Araujo, grande empresário e nativo de Tocantins, comenta sobre os melhores lugares para se conhecer em seu...

Como manter um cabelo lindo e cacheado?

Para Leandra, a Diva do Brás, o cabelo cacheado está cada vez mais em alta, podendo até ser uma nova tendência nos...

Marco Antonio Carbonari dá dicas de harmonização com queijos

Receber amigos ou pessoas especiais em uma noite de vinhos para degustação e aperitivos é um dos programas...

Veja tambem